Porque a Jornada

/Porque a Jornada
Porque a Jornada 2018-05-30T15:52:41+00:00

PORQUE A JORNADA 

O COEP – Rede Nacional de Mobilização Social – foi criado em 1993 pelo sociólogo Herbert de Souza, o Betinho, e pelo professor Luiz Pinguelli Rosa, no âmbito do Movimento pela Ética na Política e da Ação da Cidadania no Combate à Fome e pela Vida. Desde então, o COEP desenvolveu inúmeros projetos e mobilizações, articulou comunidades, organizações e pessoas, particularmente as jovens e os jovens.

Duas dessas iniciativas merecem destaque. Em 2001, uma série de projetos constituiu o programa COEP e as Escolas o qual, a partir de 2004, incorporou como eixo de mobilização os 8 Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) da Organização das Nações Unidas. Os resultados foram e continuam sendo muito positivos.

A partir de 2000, se sobressai a série de projetos voltados para a promoção da cidadania e do desenvolvimento sustentável em comunidades do Semiárido do Nordeste brasileiro. Iniciados na comunidade de Margarida Maria Alves, no município de Juarez Távora, Paraíba, os projetos chegaram a mais de 80 comunidades em 7 estados da região. O grande desafio de desenvolver uma metodologia de incorporação de novas comunidades em territórios distantes foi alcançado, mesmo com recursos limitados, por meio da mobilização de jovens comunitários já parceiros do COEP, tornando-os promotores de cidadania em comunidades vizinhas.

Aliás, foi esta energia solidária e transformadora da rede de jovens líderes do Semiárido, por meio de metodologia desenvolvida pelo COEP para formar a Jornada das Comunidades, que possibilitou tamanha multiplicação.

Ao escolher a escola como parceira dessas iniciativas, o COEP se pautou na crença de que esse espaço constitui um local privilegiado para a conquista de conhecimentos e valores que fundamentam o exercício da cidadania, e de que a professora e o professor são um dos principais agentes de transformação da sociedade.

A partir desses projetos e pensando no contínuo desafio de ampliar os processos de mobilização e promoção da cidadania para mais jovens e mais comunidades, o COEP criou uma nova metodologia, que envolve as jovens e os jovens, as escolas e uma tecnologia social: a Jornada Cidadania nas Escolas.


Lançamento da Jornada

Neste 2018, o COEP estreia a Jornada Cidadania nas Escolas. O objetivo é estimular e fortalecer inicialmente as capacidades de ação e mobilização das jovens e dos jovens estudantes do Ensino Fundamental II (do 6º ao 9º ano) e do Ensino Médio no Semiárido nordestino e em seguida ampliar o projeto para todo Brasil.

A Jornada constitui um chamado para que esses estudantes se tornem protagonistas da mobilização pela cidadania em suas comunidades; e fortaleçam o compromisso da sociedade com a escola como um espaço central para a vida comunitária, fundamental na educação para a cidadania.

O processo de construção da Jornada terá como eixo mobilizador os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), lançados pela Organização das Nações Unidas em 2015.

Tendo em vista que não há desenvolvimento sustentável sem direitos humanos e não há direitos humanos sem democracia, cidadania e ética, o COEP entende que ao buscar a implementação dos 17 ODS é crucial trabalhar para o fortalecimento da democracia.

Assim, os 5 princípios da democracia defendidos por Betinho – igualdade, diversidade, participação, solidariedade e liberdade – devem ser valores considerados na implementação dos ODS.

Compromisso social

Mais do que uma agenda das Nações Unidas e dos governos, o COEP propõe que os ODS sejam um compromisso da sociedade. Para fortalecer o processo democrático é preciso que as cidadãs e os cidadãos se envolvam, participem de iniciativas locais e demandem dos governos políticas públicas e ações que colaborem para o alcance de cada Objetivo. Somente assim os ganhos obtidos serão permanentes e poderão ajudar a consolidar uma sociedade mais justa e igualitária.

O COEP acredita que uma maior participação das pessoas, através de ideias inovadoras e de campanhas, é fundamental para mobilizar gestores públicos na implementação de  iniciativas voltadas para o desenvolvimento sustentável.

Prêmio Betinho

O Prêmio Betinho 2018 visa estimular uma série de ações de engajamento social previstas na Jornada Cidadania nas Escolas. Tem como proposta valorizar o empenho dos participantes e os resultados alcançados por meio de uma atuação coletiva. Este prêmio tem 2 categorias: Escola em Ação e Atitude Cidadã.

.
O COEP lançou o Prêmio Betinho em 2008, para prestar uma homenagem a um de seus fundadores, o sociólogo Herbert de Souza. Este Prêmio é uma estratégia de mobilização que procura dar visibilidade e valorizar o trabalho das pessoas que, em seu dia a dia, se dedicam à promoção da cidadania.